Sair das dívidas: 8 passos importantes para encontrar solução

25/08/2022

0
FavoritarFavoritar artigo0

Com dificuldades para sair das dívidas? Então veja agora mesmo 8 dicas que vão ajudar você a recobrar o controle das finanças e o nome limpo!

Publicidade

Sair das dívidas nem sempre é fácil, especialmente em momentos em que os valores dos itens básicos de sobrevivência estão nas alturas. Porém, existem alguns cuidados que podem ajudar a mudar a situação. Acompanhe o Guia do Ex-Negativado e veja hoje, 25 de agosto, como sair dessa.

Dívidas acumuladas tendem a formar uma bola de neve. Afinal, o valor delas aumenta a cada dia com a incidência de juros e multas de mora. Igualmente, elas podem levar à negativação, o que atrapalha o acesso ao crédito e às principais soluções financeiras.

Portanto, é importante que atitudes para mudar a situação sejam tomadas o mais rápido possível. São elas que irão ajudar você a sair do sufoco e impedem que a situação piore ainda mais. Abaixo, confira algumas dicas importantes para sair do endividamento.

Sair das dívidas é possível; Veja 8 passos que facilitam essa transição

São vários os passos que são necessários para recobrar o equilíbrio financeiro. Mas todos eles valem a pena, pois podem garantir um sono tranquilo e longe da sombra dos juros e do aumento constante das dívidas.

Confira alguns deles, abaixo, e veja por onde começar a se reerguer financeiramente, deixando as dívidas para trás.

Sair das dívidas
Sair das dívidas: 8 passos importantes para encontrar solução – Foto: Canva

Saiba quanto você ganha e quanto gasta

O primeiro passo não poderia ser outro: você precisa saber o quanto gasta e o quanto ganha todos os meses. Somente assim se torna possível saber como você pode encaixar as dívidas e despesas dentro do seu orçamento.

Saiba com o que você gasta

Para sair das dívidas não basta saber quanto você gasta; também é importante saber com o que seu dinheiro vai embora. Por isso, não deixe de anotar todos os seus gastos. Não importa o quando um deles possa parecer irrelevante e pequeno: anote-o também.

Com isso você consegue a ter uma visão mais completa sobre como é a sua relação com o dinheiro. Não deixe de anotar, também, todos os ganhos caso você tenha mais de uma fonte de renda.

Corte gastos desnecessários

Sair das dívidas também requer alguns sacrifícios. Um dos principais se revela na revisão do seu consumismo. É possível cortar alguns gastos sem que isso atrapalhe sua subsistência.

Por exemplo, considere quantas assinaturas de streamings e outros serviços você mantém simultaneamente. Não seria o caso de abrir mão de uma ou mais delas? Com isso, reveze as assinaturas e os próprios conteúdos disponíveis.

Outro ponto importante aqui é resistir às promoções e produtos que são baratinhos e que, por isso, parecem que não vão impactar no orçamento. Considere quantas coisas você já comprou por esse apelo e hoje se acumulam em casa, sem serventia. Esse é um exercício importante.

Promova substituições para sair das dívidas

Existem coisas das quais você não poderá abrir mão, realmente. Mas você pode fazer escolhas mais baratas. Por exemplo, trocar uma marca por outra cujo efeito do produto seja o mesmo, mas o valor seja mais baixo.

Aliás, também fique atento a pequenos gastos que passam despercebidos. Por exemplo, uma luz acesa em um cômodo vazio não passa de desperdício de dinheiro. Com pequenos cuidados e gestos é possível promover economia.

Inclua a família no plano para sair das dívidas

É essencial que a sua família faça parte do plano para lidar com as dívidas. Ela deve ter conhecimento da situação financeira atual e do planejamento para superá-la. Desse modo, passa a atuar de modo que a economia seja algo natural.

Negocie suas dívidas e limpe seu nome

Negociar as suas dívidas para sair delas é o melhor modo de deixar seu nome limpo, com crédito no mercado e fama de bom pagador. Por isso, busque os credores e soluções.

Aliás, certifique-se de que as parcelas das negociações caberão no seu bolso e poderão ser mantidas junto às demais despesas. Em caso contrário, logo você se verá em situação de endividamento novamente.

Comece quitando as com maior incidência de juros

Caso se tratem de várias as dívidas em atraso, dê preferência para a negociação e a quitação daquelas cujos juros sejam maiores. Ou seja, para as mais onerosas. Somente depois de solucioná-las ou negociá-las passe às demais, menos nocivas financeiramente.

Busque renda extra

Por fim, busque aumentar a sua renda para que seja possível sair das dívidas e manter boas condições de vida. Busque desenvolver mais suas habilidades e formas de colocar conhecimentos diversos em prática.

Avatar de Ana Follmann

Assim como Caetano Veloso, sou uma otimista por determinação. Formada em Direito pela UFPR, especializada em Direito do Trabalho e produtora de conteúdo desde 2018 em nichos diversos e que aguçam minha curiosidade. Também tenho Contato profissional que é: [email protected]

Comente abaixo o que você achou do artigo!

Notícias Rápidas

CPF bloqueado por dívida: É possível? Como saber se tenho direito ao PIS? Como saber se meu título de eleitor está regular? Consultar CNIS pelo CPF O que é carta de crédito Financiar veículo pelo CNPJ MEI Auxílio Natalidade CRAS Se eu excluir a Caixinha do Nubank o dinheiro volta? Saque de benefício após falecimento Onde cai o saque-aniversário Saldo bloqueado Caixa Tem Auxílio maternidade para desempregada Como sacar benefício do INSS Documentos necessários para assinar carteira de trabalho Quem recebe Bolsa Família pode fazer empréstimo na Caixa Econômica Conta poupança pode ter pix? Como ganhar livros físicos de graça? Como fazer Cadastro Único? Golpe Boleto! Motivos Demissão Justa Causa