,

Quando o salário mínimo vai aumentar e quem vai se beneficiar em 2024

13/12/2023

0
FavoritarFavoritar artigo0

Entenda quando o salário mínimo vai aumentar e todos os grupos que serão beneficiados com o aumento no ano de 2024.

Publicidade

Quando o salário mínimo vai aumentar? As projeções do mercado financeiro indicam que a remuneração mínima deve experimentar um reajuste, passando dos atuais R$ 1.320 para, no mínimo, R$ 1.412. O aumento é menor do que inicialmente estimado pelo governo (R$ 1.421).

Os valores estão atrelado à nova política de valorização permanente do salário mínimo, já aprovada pelo Congresso Nacional.

Na sequência falaremos sobre as implicações desse reajuste e quem serão os beneficiários diretos. Grupos quem recebem seguro-desemprego, PIS/Pasep, aposentadoria, BPC e outros benefícios já se preparam.  

Veja ainda:

Quando o salário mínimo vai aumentar e todos que serão beneficiados com o aumento

Desde que foi instituído em 1936, no governo de Getúlio Vargas, até os dias de hoje, o salário mínimo sofreu várias alterações, tornando-se uma ferramenta essencial na busca por igualdade e justiça social.

Ele é uma peça fundamental no cenário econômico e social do país, impactando diretamente milhões de trabalhadores e beneficiários de programas assistenciais.

E, como adiantado pelas projeções, seu novo valor deve ser mesmo de R$ 1.412. Aguarda apenas, portanto, a oficialização por parte do governo para entrar em vigor.

Mas talvez você se pergunte, a partir de quando o salário mínimo vai aumentar efetivamente? A resposta é: a  partir de janeiro de 2024, com os pagamentos programados para fevereiro.

E nesse contexto, diversos benefícios e programas vinculados ao recurso financeiro também experimentarão ajustes. Saiba mais na sequência. 

Seguro-Desemprego

Essa assistência financeira visa ajudar os profissionais a atravessar os desafios financeiros associados ao desemprego, garantindo uma parcela mínima para cobrir despesas essenciais enquanto buscam por novas oportunidades de trabalho.

O valor mínimo do seguro-desemprego em 2024, que é calculado com base no salário mínimo, deverá subir de R$ 1.320 para R$ 1.412.

Abono do PIS/PASEP

O abono do PIS/Pasep, destinado a trabalhadores com carteira assinada ou servidores que recebem até dois salários mínimos, também sofre ajustes.

O valor pago varia conforme os meses trabalhados no ano-base, sendo que aqueles que trabalharam os 12 meses receberão o novo salário mínimo, potencialmente atingindo R$ 1.412 em 2024.

Aposentadorias, Pensões, Auxílios e BPC

Os benefícios previdenciários atrelados ao salário mínimo devem acompanhar o reajuste, subindo de R$ 1.320 para, no mínimo, R$ 1.412.

Isso afeta diretamente aposentados, pensionistas e beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC), proporcionando um incremento financeiro a esses grupos. 

Atrasados do INSS

As ações judiciais no âmbito dos Juizados Especiais Federais, que possuem um teto de 60 salários mínimos, também experimentam uma adaptação.

Com o novo salário mínimo, se confirmado em R$ 1.412, os segurados poderão entrar com ações equivalentes a até R$ 84.720, contra os R$ 79,2 mil do ano anterior.

Causas no Juizado Especial Cível

Aqueles que optam por buscar reparação no Juizado Especial Cível, também se beneficiarão do novo valor-limite para as ações.

O teto, que atualmente está em R$ 52,8 mil, pode ser elevado para R$ 56.480, proporcionando uma maior abrangência nas demandas judiciais.

Histórico do salário mínimo e seu impacto

O salário mínimo não é apenas um valor isolado; ele influencia diretamente a economia e a sociedade.

Além de garantir uma remuneração teoricamente “mais adequada” para os trabalhadores, ele serve como base para diversos indicadores econômicos, afetando desde o consumo até as políticas públicas de assistência social.

E apesar das mudanças ao longo dos anos, o desafio de manter um salário mínimo condizente com as necessidades básicas da população persiste.

A inflação, as variações nos custos de vida e as demandas sociais continuam a ser fatores que demandam atenção constante.

Ainda em julho deste ano, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) sugeriu que o salário mínimo ideal para a manutenção de quatro pessoas deveria ser de R$ 6.528,93. 

Veja ainda:

Os aumentos desde 1994

Já ciente de quando o salário mínimo vai aumentar e quem se beneficia, veja na sequência, portanto, os registros anuais do salário mínimo no Brasil, de 1994 a 2022.

Eles ajudam a fornecer uma visão abrangente das mudanças econômicas ao longo das últimas décadas.

Os dados foram extraídos do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), destacando cada ano e o respectivo aumento percentual:

  • 1994: R$ 70 – Aumento de 8,04%
  • 1995: R$ 100 – Aumento de 42,86%
  • 1996: R$ 112 – Aumento de 12%
  • 1997: R$ 120 – Aumento de 7,14%
  • 1998: R$ 130 – Aumento de 8,33%
  • 1999: R$ 136 – Aumento de 4,62%
  • 2000: R$ 151 – Aumento de 11,03%
  • 2001: R$ 180 – Aumento de 19,21%
  • 2002: R$ 200 – Aumento de 11,11%
  • 2003: R$ 240 – Aumento de 20%
  • 2004: R$ 260 – Aumento de 8,33%
  • 2005: R$ 260 – Aumento de 15,38%
  • 2006: R$ 300 – Aumento de 16,67%
  • 2007: R$ 380 – Aumento de 8,57%
  • 2008: R$ 415 – Aumento de 9,21%
  • 2009: R$ 465 – Aumento de 12,05%
  • 2010: R$ 510 – Aumento de 9,68%
  • 2011: R$ 545 – Aumento de 5,88%
  • 2012: R$ 622 – Aumento de 14,13%
  • 2013: R$ 678 – Aumento de 9%
  • 2014: R$ 724 – Aumento de 6,78%
  • 2015: R$ 788 – Aumento de 8,84%
  • 2016: R$ 880 – Aumento de 11,68%
  • 2017: R$ 937 – Aumento de 6,48%
  • 2018: R$ 954 – Aumento de 1,81%
  • 2019: R$ 998 – Aumento de 4,61%
  • 2020 (ajuste 1): R$ 1.039 – Aumento de 4,11%
  • 2020 (ajuste 2): R$ 1.045 – Aumento de 0,58%
  • 2021: R$ 1.100 – Aumento de 5,26%
  • 2022: R$ 1.212 – Aumento de 10,18%
  • 2023: R$ 1.302 em janeiro – Aumento de 7,5% / R$ 1.320 a partir de maio – aumento de 1,4%.

Avatar de Victor Freitas

Jornalista com especialização em “técnicas de SEO”, pela Universidade Rock Content; também com cursos concluídos na área de economia e finanças na FGV, como os seguintes: “Como fazer Investimentos 1 e 2”, “Como gastar conscientemente” e “Como organizar o orçamento familiar”. Sou redator e editor em portais com temáticas de finanças, cidadania, economia, política, cultura e esportes. Contato profissional: [email protected]

Comente abaixo o que você achou do artigo!

Notícias Rápidas

CPF bloqueado por dívida: É possível? Como saber se tenho direito ao PIS? Como saber se meu título de eleitor está regular? Consultar CNIS pelo CPF O que é carta de crédito Financiar veículo pelo CNPJ MEI Auxílio Natalidade CRAS Se eu excluir a Caixinha do Nubank o dinheiro volta? Saque de benefício após falecimento Onde cai o saque-aniversário Saldo bloqueado Caixa Tem Auxílio maternidade para desempregada Como sacar benefício do INSS Documentos necessários para assinar carteira de trabalho Quem recebe Bolsa Família pode fazer empréstimo na Caixa Econômica Conta poupança pode ter pix? Como ganhar livros físicos de graça? Como fazer Cadastro Único? Golpe Boleto! Motivos Demissão Justa Causa